Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Defesa Civil
Gaspar é destaque no Programa SC Resiliente da Defesa Civil estadual

Publicado em 08/10/2021 às 14:54 - Atualizado em 08/10/2021 às 14:54


Créditos: Cinara Muller Baixar Imagem

    Nesta quinta-feira, dia 7, a Prefeitura de Gaspar, por meio da Superintendência de Defesa Civil foi reconhecida com o selo grau Prata no Programa SC Resiliente ciclo 2020/2021, organizada pela Defesa Civil Estadual. Gaspar e Brusque foram as únicas cidades da região a receber a honraria.

    O ciclo 2020-2021 do programa contou com a participação de 114 municípios de Santa Catarina, destes, 87 completaram todo o clico e receberam certificados. O selo é divido em três categorias, apenas um município recebeu grau Ouro, 18 na categoria Prata, onde Gaspar está incluso, e 64 municípios receberam categoria Bronze, outros quatro receberam certificados de participação.

    Para a superintendente de Defesa Civil, Ana Janaina Medeiros, essa é mais uma conquista que coloca o órgão em destaque regional e estadual. “Estamos trabalhando diariamente para construir uma Gaspar mais forte e preparada para eventuais tragédias e, desta forma aumentar a segurança da nossa população com estratégias que reduzam os riscos. Receber esse reconhecimento estadual, só demonstra o quanto estamos evoluindo em ações estruturais, pessoas, capacitações entre outros investimentos”, conta Ana Janaína.

Programa SC mais Resiliente

    O Programa SC Resiliente pretende fortalecer a cultura de resiliência a desastres no Estado de Santa Catarina, favorecendo a atuação municipal de forma prática e participativa. O programa é alinhado ao Quadro de Sendai para redução de riscos de desastres e orientações legais em gestão de risco. No contexto de Santa Catarina, em que 16 municípios estão inscritos na Campanha Cidades Resilientes, o programa também estabelece formas de diálogo e articulação com essa iniciativa, de maneira a criar mecanismos e possibilidades de ampliação desse número.

Diretrizes:

Organizar-se para a resiliência a desastres;

Identificar, compreender e utilizar os cenários de riscos atuais e futuros;

Fortalecer a capacidade financeira para a resiliência.

Buscar desenvolvimento e projetos urbanos resilientes;

Salvaguardar zonas de amortecimento naturais para melhorar as funções de proteção oferecidas pelos ecossistemas naturais;

Fortalecer a capacidade institucional para a resiliência;

Compreender e fortalecer a capacidade da sociedade para a resiliência;

Aumentar a resiliência da infraestrutura.

Assegurar uma resposta eficaz ao desastre;

Acelerar a recuperação e reconstruir melhor.